29/03/2011

Tortinhas de Pão Integral com recheio à base de maionese e requeijão cremoso

Essa é uma idéia bem versátil para servir antes das refeições. Variando o recheio, a tortinha de pão integral mudará completamente.

Fiz uns experimentos em casa durante a semana, estava pensando em fazer algo para aperitivo, talvez...
Na primeira tentativa, usei a massa de pizza de frigideira que eu tinha na geladeira. Cortei a massa com um cortador de bolacha, coloquei na forminha de cupcake e levei ao forno (180°C) por +/- 20 minutos. O resultado foi uma massa muito, muito seca, porém crocante.

Na segunda tentativa, usei o pão integral como a base da tortinha e achei que dessa vez ficou melhor, por isso é que resolvi dividir com vocês... O resultado foi uma base macia e ao mesmo tempo, levemente crocante. Oba! agora é só rechear!

(foto by maridão)

Tortinhas de Pão Integral


08 fatias de pão integral de sua preferência. (eu usei o de aveia)
01 colh (sopa) de requeijão cremoso

Preparo

Corte  as laterais de cada fatia, deixando-as sem casca. Em seguida, passe o rolo sob cada fatia como se fosse abrir uma massa. Você notará que o pão estará com uma aparência mais "compactada". Espalhe o requeijão sobre cada fatia tomando cuidado para não colocar muito ou a base da tortinha ficará muito molhada. Coloque as fatias nas forminhas de cupcake (você também pode usar forminhas de empadinha) e reserve.


Recheio

02 colh (sopa) de maionese
01 colh (sopa) de requeijão cremoso
01 cebola pequena ralada (você pode substituir a cebola por alho, se preferir)
Gotas de molho inglês, orégano, sal e pimenta à gosto
Queijo parmesão para polvilhar

Em uma tigela, misture delicadamente todos os ingredientes. Em seguida coloque o recheio nas tortinhas. Polvilhe o parmesão e leve ao forno pré-aquecido (180 C) até que as tortinhas estejam douradas e/ou o queijo gratinado.

24/03/2011

Idéias para a Páscoa

Vamos nos preparar para a Páscoa? Nossa! Eu adoro essa época! Por que será??? Porque, como qualquer pessoa, eu amo chocolate!!! (e até esqueço que sou alérgica...rsrsrs)

Tenho uma sugestão: que tal se dessa vez não deixássemos para a última hora? Afinal, quanto mais tarde fizermos as nossas compras, pior será, pois os melhores ovos já terão se esgotado e restarão apenas os derretidos ou quebrados. Então, mãos-à-obra, pois temos muita coisa para fazer...!

Começando pela decoração, aqui vão algumas dicas, simples, fáceis e ecologicamente corretas! Sem falar que ficam super fofas!!!

Uma maneira bastante original e fácil de fazer, seriam essas cenouras de papel crepom, usadas como embalagem, elas seriam uma idéia para aqueles que querem variar e não querem presentear com os tradicionais ovos de Páscoa. Basta comprar um presentinho pequeno e ter em mãos os materiais de papelaria para a cenoura (acessando o link abaixo você encontrará todo o material necessário). Em alguns minutos, a sua embalagem de Páscoa está pronta! Não ficou um charme?



Dicas e imagens: http://www.marthastewart.com/photogallery/decorating-for-easter



Outra idéia seria fazer uma árvore de Páscoa. E por que não?



Essa idéia eu encontrei aqui, no blog da Regiane. Fica muito delicado e traz o espírito de Páscoa para dentro de casa. Se você tem filhos, convide-os para criar os enfeites e  montar a árvore. Vai ser uma grande diversão!

Outras sugestões super originais (também encontradas no blog da Regiane):

Cascas de ovos que servem como vasinhos... lindinhos, não?




Dicas e imagens: http://www.casacomdecoracao.com.br/2009/03/ideias-para-pascoa_16.html

Ficam as dicas. Agora use e abuse de sua criatividade!!!


23/03/2011

Ah! O Caldo Verde de Santos...



O friozinho está chegando... tempo de se aquecer! E nada melhor do que um caldinho, uma sopinha! Hummm ... que delícia! Eu sou suspeita para falar porque eu simplesmente adoro sopas! E ontem, como já estava ventando, achei que fazer um caldinho para a janta seria uma boa escolha.

Quando mudamos para Santos, devido ao trabalho do meu pai, uma das coisas que mais fizemos lá foi ir à restaurantes, pois existem muitas opções. Descobrimos cada coisa... de comida Italiana à Portuguesa...
Não foi à toa que naquela época eu engordei vários quilos, os quais hoje em dia já não tenho mais... ainda bem!
Havia um restaurante em Santos, no final da Av. Ana Costa, chamado Almeida. Lá eles serviam sopas que eram magníficas. Minha mãe gostava muito do creme de palmito que eles faziam... Eles também tinham no cardápio o Caldo Verde, que aliás era facilmente encontrado em Santos, principalmente durante as férias, quando ainda existia a Cidade Junina, alguém se lembra? A Cidade Junina  eram barracas de comida montadas na praia, as quais funcionavam à noite, durante os meses de Junho e Julho... Bons tempos! Enfim, voltando ao assunto, a maioria das barracas servia esse tal de Caldo Verde, uma receita portuguesa, que agradava à maioria da população, pois naquela época (anos 90) 70% da população tinha descendência portuguesa. (pelo menos foi o que nos informaram na época...)
Um belo dia resolvemos experimentar e, claro, adoramos! Minha mãe tratou logo de arrumar a receita, que é super fácil, e hoje vou dividí-la com vocês.



Caldo Verde


Ingredientes

08 batatas grandes
01 maço de couve picadinha
01 gomo de lingüiça calabresa em fatias finas (se preferir, corte-a em pedaços bem pequenos)
02 colh (sopa) de azeite
Alho e sal à gosto
Água

Preparo

Cozinhe as batatas até que estejam bem macias (+/- 20 minutos). Em seguida, desligue o fogo, troque a água do recipiente e deixe as batatas cozidas esfriando. Depois de frias, amasse-as como se fosse fazer um purê.
Enquanto isso, em uma panela coloque o azeite e o alho. Frite-o até que esteja dourado. Acrescente a lingüiça e deixe fritar por alguns minutos, mas não deixe fritar demais, pois a lingüiça deverá ficar macia e não crocante. Coloque as batatas amassadas mexendo sempre, para que elas se misturem com o alho e a calabresa. Por último, vá acrescentando a água aos poucos. Se você gosta de caldos mais finos, coloque mais água, no meu caso eu gosto do Caldo Verde com a consistência de um creme, por isso não coloquei muita água. Deixe ferver por +/- 5 minutos e coloque a couve. Mexa para incorporar a couve no caldo. A partir daí, você perceberá que a couve soltará um coloração verde clara (se acaso você colocar muita couve, a cor será mais intensa). Adicione o sal e ferva por mais alguns minutinhos e sirva em seguida.

Dica: Para aqueles que não gostam muito dos pedaços de couve, uma sugestão é "disfarçar" a couve, batendo tudo no liquidificador.

16/03/2011

Abobrinha ao forno light


Olá! A receita de hoje será bem nutritiva, saborosa e saudável: abobrinha ao forno light!
É sempre bom "dar um tempo" e deixar a carne vermelha de lado, né? Falo isso porque eu me considero uma pessoa "carnívora"... Uns dizem que o tipo do sangue influencia (sou tipo O), mas não sei se é mito ou verdade. O que eu sei é que quando passo um tempinho sem carne vermelha, começo a subir pelas paredes! Sou daquelas que amam um bifinho com tomate e cebola, um churrasco, um carpaccio, enfim, uma carne beeeemm mal passada (os vegetarianos que me desculpem!)... hummm! Que delícia! Mas, sou uma carnívora consciente, e sei que, para o colesterol, isso não é muito bom, então, eu tento controlar e alterno com frango, peixe e legumes. O corpo agradece!...rs

Bom, vamos ao que interessa, não e mesmo?


Abobrinha ao forno LIGHT



01 abobrinha média cortada em rodelas de +/- 0,5 cm
01 cebola média cortada em fatias
01 tomate grande, bem vermelho, cortado em cubos
01 dente de alho bem picadinho
Queijo branco cortado em cubos (eu usei 03 tiras de +/- 1 cm, cortado em cubos pequenos)
Queijo parmesão para gratinar
Azeite, orégano e sal à gosto


Preparo

Em um refratário, coloque 03 colh (sopa) de azeite e distribua as rodelas de abobrinha uniformemente. Em seguida, coloque 01 camada de cebola e tomate e salpique com orégano, sal e alho.



Regue novamente com 03 colh. (sopa) de azeite e repita  o mesmo procedimento. (01 camada de abobrinha, depois a cebola com o tomate e os temperos...etc.) até que todas as rodelas de abobrinha tenham sido colocadas no refratário. Por último, acrescente o queijo branco e polvilhe o parmesão.


Cubra o refratário com papel alumínio e leve ao forno (180°C) por 30 minutos. Depois, com um garfo, teste se a abobrinha está macia e se necessário deixe mais 10 minutos até que ela esteja macia. Por último, retire o papel alumínio e deixe gratinar. Prontinho!

Manja che te fa bene!!!


14/03/2011

Rocambole de Frango



Como na terça-feira de carnaval eu havia feito o rocambole de frios lá na casa dos meus pais, hoje resolvi testar uma receita de rocambole de frango, recheio que, por sinal, meu marido adora.

A massa é diferente da do rocambole de frios por causa da manteiga, lembra a massa podre. O recheio ficou muito saboroso e já tive outras idéias do que fazer com ele em outras ocasiões... Fiquem tranquilos que quando eu testar essas outras idéias vou postar aqui, com certeza!



Rocambole de frango


Comece o rocambole pelo recheio, pois ele precisa estar frio (ou na temperatura ambiente) para podermos colocá-lo sobre a massa aberta.

Recheio

04 colh (sopa) de azeite
01 peito de frango cozido - sem sal -  e desfiado
01 cebola grande picadinha
02 tomates bem vermelhos picadinhos
05 colh (sopa) de milho verde
04 colh (sopa) de requeijão cremoso
04 colh (sopa) de iogurte natural
Cheiro verde e pimenta-do-reino  à gosto (eu usei +/- 1/2 xícara)


Preparo

Em uma panela coloque o azeite e a cebola para refogar. Em seguida, acrescente o tomate e o frango desfiado. Acrescente o milho e deixe alguns minutos. Agregue o iogurte, o requeijão, o sal e a pimenta e deixe levantar fervura até que o caldo que se formou desapareça. Por último coloque o cheiro verde. Reserve, deixando esfriar.


Massa

02 xíc (chá) de trigo
1/2 xíc (chá) de leite
100 g de manteiga ou margarina
01 colh (sopa) de fermento em pó
02 gemas
1 pitada de sal

01 gema para pincelar

Preparo

Em um recipiente coloque a farinha e em seguida o sal e o fermento e misture bem. Bata levemente as gemas e agregue-as à farinha. Adicione a manteiga e o leite em temperatura ambiente. Mexa a massa com um garfo primeiramente e depois utilize as mãos para mexer até que a massa esteja completamente lisa.

Opção 1 - Rocambole: Em uma superfície enfarinhada abra a massa com o auxílio de um rolo. Acrescente o recheio no centro e envolva-o com as partes laterais da massa. Forre uma assadeira com papel alumínio e coloque o rocambole já pincelado com a gema. Leve ao formo (180°C) por 30 minutos ou até que esteja dourado.

Opção 2 - Trança: Se quiser, faça cortes laterais para poder trançá-los posteriormente. Trance as tiras unindo-as no centro sobre o recheio. Proceda como na opção 1, pincelando a trança com a gema, colocando na assadeira forrada e levando ao forno pelo mesmo tempo.

13/03/2011

A história do Tempero caseiro da vó Lourdes

Nessa semana me deu uma nostalgia misturada com saudades...

Quase toda semana eu vou à feira para comprar os meu legumes, frutas e verduras, pois além de encontrar tudo o que preciso em lugar só, há muitas opções, sem falar na qualidade dos produtos, que é muito superior à dos supermercados.

Pois bem, nessa quarta-feira de cinzas não foi diferente! Lá fui eu, acompanhada do marido, fazer a feira. Compramos tudo o que precisávamos e ainda comemos um delicioso pastel de queijo do Mário, claro.

Quando cheguei em casa, pensei: preciso fazer o meu tempero! Vou explicar melhor: sempre  que compro alho e cebola, eu costumo processar uma grande parte, para quando eu tiver que temperar os alimentos eu não precise "perder tempo descascando o alho e a cebola. Mas, desta vez fiz diferente... tentei fazer o tempero da minha avó Lourdes.  E agora é que entra a saudades e a nostalgia!

A minha avó paterna, a D. Lourdes, falecida em 2003, era uma cozinheira de mão cheia, como todas as avós costumam ser. Mas, embora eu seja suspeita para falar, a comida dela era muito, mas muito especial mesmo, até aquelas mais simples, como o feijão de todo dia.... Sem contar o nhoque de batatas, que flutuava na boca! E muitas outras coisas.
Hoje, só nos restam as lembranças dos sabores... Infelizmente, ficamos sem as receitas, pois como ela não sabia ler, tinha que guardar todas as receitas na cabeça (coisa que eu não consigo fazer!). Um fato curioso sobre suas receitas é que ela era muito ciumenta quando estava na cozinha e não contava os seus segredos culinários, por isso é que o que eu vou colocar aqui hoje é uma tentativa de adivinhar a receita do seu delicioso tempero caseiro. Sei que ficou diferente do da minha avó, mas quem sabe um dia eu chego lá???

PS: Vó, a saudades da sra. é grande... e de suas comidas também! Beijos... te amo pra sempre!

 


Tempero Caseiro

04 cebolas grandes descascadas e picadas ao meio
03 cabeças de alho descascadas
01 tomate sem sementes
01 folha de louro
1/2 xíc. (chá) de  cebolinha (e / ou salsinha se preferir)
1 xíc. (chá) de sal

Modo de fazer

Coloque no processador a cebola, o alho, a cebolinha (ou salsinha), o tomate e o louro. Depois que tudo estiver bem picadinho, peneire todo o caldo que formar e coloque essa mistura em uma tigela para poder agregar o sal. Acrescente o sal, misturando bem. Por último, coloque em recipiente com tampa e está pronto o seu tempero caseiro!



11/03/2011

Salada de batatas



Aqui vai uma receitinha para dois... três...quatro... e quantos couber!!!

Além da salada de folhas que não pode faltar no meu almoço, eu queria preparar algo saboroso e rápido. Olhei então para a minha cesta e pensei: hummmm batatas! Pronto! Tive a idéia de fazer uma salada de batatas, algo que acredito que todo mundo já tenha feito um dia. Pensei então na maionese, mas me lembrei que eu ainda tinha aberto um pote de iogurte natural, que eu tinha usado na quarta-feira de cinzas para fazer o molho da pescada ao forno. Pensei também no orégano - que eu amo de paixão - no alecrim, e tentei pensar em mais alguma coisa que eu pudesse colocar junto, mas que não demorasse muito para ficar pronto, pois eu não podia atrasar o almoço. Foi aí que rapidamente montei a minha receita de salada de batatas. Que tal preparar para a sua próxima refeição??? Não esqueça de servir gelada, ok? E vamos à receita...


Salada de Batatas

05 batatas médias cozidas
02 colh (sopa) de maionese
02 colh (sopa) de iogurte natural
01 colh (sobremesa) de mostarda
01 cebola grande picada em cubos pequenos
01 fio de azeite
Sal, pimenta do reino, orégano e alecrim à gosto

Preparo:

Cozinhe as batatas até ficarem "macias". (Atenção; para saber se estão "macias", espete uma batata com um garfo e veja se o garfo fura a batata facilmente. Se sim, significa que a batata já está no ponto. As batatas não podem ficar muito cozidas! Se isso acontecer, você não conseguirá cortá-las.)

Após o cozimento, com as batatas ainda mornas, corte-as em cubos e reserve. Corte a cebola em pedaços bem pequenos e coloque junto com as batatas. Acrescente a maionese, o iogurte e a mostarda. Misture os ingredientes delicadamente. Por último, acrescente os temperos: o sal, a pimenta, o azeite, o orégano e o alecrim à gosto. Mexa novamente para agregar os ingredientes.
Leve à geladeira por 20 minutos e sirva em seguida.

09/03/2011

Pescada ao forno

Olá pessoal! Quanto tempo!...

Pois é... tirei uma semaninha de férias, afinal ninguém é de ferro! E para isso, precisei antecipar todo o meu trabalho e a minha carga horária ficou dobrada. Conclusão: sem tempo nenhum para os meus experimentos culinários, tempo mesmo só para o tradicional arroz com feijão.

Já estava com saudades! Mas, tudo tem o seu lado bom. E nesse tempo de afastamento, como eu ía viajar, precisei da minha câmera, que finalmente ficou pronta e está funcionando! Nem acredito! E agora as fotos que colocarei aqui ficarão melhores...

Bom,  e a receita de hoje, é peixe, claro! Fiz uma pescada de forno simples e prática para essa quarta-feira de cinzas. A receita é razoavelmente grande e, como somos em dois aqui em casa, eu tive que adaptar, caso contrário a gente iria comer peixe por vários dias seguidos...rs.
Mas, fiquem tranqüilos pois vou passar a receita no tamanho em que ela é, ok?
Espero que gostem e testem!






Pescada ao forno

Ingredientes

01 Kg de filé de pescada branca (ou outro peixe que preferir)
01 pote de iogurte natural ou 01 lata de creme de leite (com soro)
1/2 pote de leite integral (utilize o pote de iogurte para medir o leite)
01 cebola grande em rodelas
01 envelope de creme de cebola
1/2 kg de batatas pré-cozidas (sem sal) e cortadas em fatias de +/- 0,5 cm.
Salsinha e cebolinha bem picadinhas
02 colh (sopa) de alcaparras picadas
Sal e pimenta do reino à gosto
Tomates cereja para decorar



Modo de Preparo

Pré-aqueça o forno (220°C)

Tempere os filés com o sal, a pimenta do reino e o creme de cebola e reserve.

Em uma tigela, misture o iogurte, o leite integral e as alcaparras picadinhas e reserve.

Utilize um refratário para montar o prato que irá ao forno.

Regue o fundo do refratário com a mistura do iogurte, leite e alcaparras. Distribua as cebolas cortadas em rodelas por todo o fundo do refratário, preenchendo por completo. Em seguida, coloque uma camada de batatas e depois coloque os filés. Cubra-os com mais uma camada de batatas (se quiser, cubra com cebolas novamente) e regue com o restante da mistura de iogurte.

Leve ao forno por 30 minutos. Decore com o tomate-cereja e sirva com arroz branco. Bom apetite!!!