26/06/2013

Kafta e Tabule

Adoro uma comidinha árabe!
Me lembro da primeira vez que fui à um restaurante Árabe... Isso ocorreu quando ainda morávamos em Santos. De início, fui de esfiha, com medo de errar e experimentar as outras delícias. Depois comecei a me aventurar um pouco mais, com moderação, como sempre.
E foi através desta culinária que descobri uma forma de comer pepino (pois eu não gosto de pepino): o tabule. Essa saladinha é muito saborosa e refrescante pelo fato de levar hortelã. Acho a combinação dos ingredientes perfeita. E melhor ainda quando acompanha uma carne.
Por isso, trago também para vocês, uma receita espetacular de kafta. Mas, essa não é uma receita qualquer... É uma receita cheia de história, tradição e que passou de geração em geração, por isso é maravilhosa. A receita veio de um blog que eu visito sempre e que já reproduzi algumas de suas receitas aqui no meu cantinho, o Figos e Funghis, da talentosa Fabi.
Eu já havia provado kafta, porém eu sempre achava um prato nada suculento, e por essa razão, eu excluía essa opção do meu cardápio. Entretanto, quando me deparei com essa receita, resolvi mais do que depressa testar. E fiquei apaixonada! A carne fica extremamente macia, como eu esperava, e o sabor é incrível.
Vamos conferir as receitas?

Kafta
Receita DAQUI

350g de carne bovina moída (de preferência patinho)
2 colh. (sopa) de manteiga gelada picada
1 cebola pequena bem picada
2 dentes de alho picadinhos
1 colher (café) de pimenta síria (eu não tinha, usei pimenta-do-reino)
1 pitadinha de canela em pó (não usei)
1 colher (café) de sal
2 colheres (sopa) de hortelã fresca picada
2 colheres (sopa) de salsa fresca picada

Preparo
1. Numa tigela misture todos os ingredientes da kafta e amasse bem com as mãos até formar uma massa bem homogênea.
2. Molde 2 kaftas grandes e altas e leve para gelar por 30 minutos.
3. Depois de geladas, grelhe as kaftas até ficarem douradas dos dois lados.
4. Sirva imediatamente.

Tabule
Receita levemente alterada DAQUI

1 xícara (chá) de trigo para quibe
4 tomates médios em cubinhos
1 pepino médio com casca picado
1 colher (sopa) de cebolinha verde picada
3 colheres (sopa) de salsa picada
3 colheres (sopa) de hortelã picada
1 cebola pequena em cubinhos

Tempero para o Tabule
1/4 de xícara (chá) de azeite de oliva
2 colheres (sopa) de suco de limão
1/2 colher (sopa) de sal
1 pitada de pimenta-do-reino

Preparo
1. Lave o trigo e escorra. Coloque em uma tigela, cubra com água e deixe descansar por 30 minutos.
2. Em outra tigela, misture o tomate, o pepino e a cebola.
3. Junte a cebolinha, a salsa e a hortelã. Escorra o trigo e esprema bem.
4. Junte aos vegetais e misture.
5. Prepare o tempero: numa outra tigela, usando um batedor de mão (se não tiver pode ser com um garfo também), misture o azeite com o suco de limão e o sal.
6. Regue a salada com esse molho e misture bem.

Bom apetite!
Beijocas e um ótimo dia pra você!!!

Cintya Maria

21/06/2013

Bolinho de Chocolate com Calda de Chocolate

Olá pessoal!
Hoje trago a receita desse bolinho de chocolate que fiz para o amore no dia dos namorados.
A receita veio desse livro aqui, o qual eu havia comentado com vocês nesse post.
Pois bem, o que mais me surpreendeu nessa receita foi a mistura do sabor do chocolate com o açúcar mascavo, simplesmente "insuportável" de bom...rs. Devorei 2 bolinhos na sequência! Não deu pra resistir, pois o recheio é nada mais nada menos do que 2 quadradinhos de chocolate amargo derretidos e misturados na massa. Marido até estranhou os meus "hummm... que delícia!", achou que eu estava exagerando, até que ele deu a primeira mordida...rs. Além do sabor, fui muito feliz na escolha da receita, porque o tempinho por aqui estava frio e o bolinho é servido ainda morno, então combinou super bem com a temperatura. Super confortante! Que tal fazê-lo para o final de semana?



Bolinho de Chocolate com Calda de Chocolate
Do livro "200 receitas de sobremesas divinas - pág. 38
Rendimento 6 bolinhos
Preparo: 25 minutos

125g de manteiga sem sal em temperatura ambiente
125g de açúcar mascavo claro
100g de farinha de trigo com fermento
15g de cacau em pó
2 ovos
75g de chocolate amargo em pedaços

Para a Calda de Chocolate
100g de chocolate branco em pedaços pequenos
150ml de creme de leite fresco
1/4 de colh. (chá) de essência de baunilha

Preparo
1. Unte e enfarinhe seis forminhas para muffin (ou empada).
2. Coloque a manteiga, o açúcar, a farinha, o cacau e os ovos no processador e bata até ficar homogêneo.
3. Despeje a massa nas forminhas.
4. Pressione 2 pedaços de chocolate amargo no meio da massa de cada bolinho.
5. Leve ao forno pré-aquecido (180°C) por aproximadamente 18-20 minutos, até crescerem bem, ficarem crocantes nas bordas e o centro voltar à posição inicial quando pressionado com um dedo.
6. Enquanto isso, em uma panela, aqueça o chocolate branco, o creme de leite fresco e a baunilha, mexendo sempre até o chocolate derreter completamente.
7. Depois de assados os bolinhos, solte-os das forminhas com o auxílio de uma faca e desenforme-os em pratos de sobremesa.
8. Regue cada bolinho com a calda de chocolate e sirva imediatamente.

Espero que tenham gostado e aproveitem o final-de-semana para saborear esse delicioso bolinho!

Beijocas,
Cintya Maria


10/06/2013

Risoto de palmito e abobrinha

Como dizia a música "mulher de fases"... essa sou eu!
Sou como a lua, aliás tem dias que estou "de lua" ou de ovo virado, como dizem por aqui...rs.
Na adolescência, a minha "lua" era muito pior, coitado do Fábio, o meu irmão mais velho. Todo dia  era a mesma coisa, acordávamos cedo para ir à escola: eu num mau-humor tremendo e ele disposto à tagarelar já cedo. Resultado: minhas respostas, eram sempre monossilábicas, porém admito que às vezes eu o deixava no vácuo, ou seja, sem resposta ou partia para a grosseria. Um belo dia ele acordou e percebeu que eu não gostava de conversar de manhã, levou um bom tempo, mas ele aprendeu. E o castigo para mim, a mal-educada da história foi casar com um marido que é assim. Então, hoje sou eu a tagarela! rsrs... O mundo dá voltas e aprendi que dois bicudos não se beijam! rsrs... Ditados à parte, além dessa fase, a minha outra não está relacionada à humor, mas sim à paladar. Vou explicar... Às vezes começo a comer algo e passo um bom tempo só comendo aquilo... Por exemplo, teve uma fase, antes de ter o blog, que cismei com sonho. Lá ía eu para a padaria comprar o bendito, e isso se repetia mais de 3 vezes na semana! Depois eu enjoei e fiquei um tempão sem comprar... É, eu sou assim! rsrs
Agora estou caindo de amores por risoto! Ainda bem que o marido também. No início dessa semana eu perguntei se ele preferiria uma massa ou um risoto e ele ficou com a segunda opção. E eu pensei: ainda bem! Apesar de que não estou na fase do enjôo das massas...rs
A receita de hoje saiu do meu livrinho querido, que ganhei no Encontro Gourmet do ano passado. Eu comentei sobre ele aqui. E posso dizer que esse é o meu risoto favorito! A combinação dos ingredientes é muito harmoniosa, eu diria até perfeita!

Risoto de Palmito e Abobrinha
Receita levemente alterada do livro Atelier de Receitas - Risotos (pág.4), para 02 pessoas

04 xíc. (chá) de água filtrada
01 cubo de caldo de legumes
01 colh. (sopa) de manteiga
04 colh. (sopa) de cebola
02 dentes de alho picadinhos
3/4 de xíc. (chá) de arroz carnaroli
1/3 de xíc. (chá) de vinho branco seco
3/4 de xíc. (chá) de palmito fatiado
1/2 xíc. (chá) de abobrinha fresca cortada em pedaços (usei a italiana)
1/3 de xíc. (chá) de queijo meia-cura ralado
Tomilho e pimenta-rosa a gosto (opcional)
(Sal, apenas se necessário)

Preparo
1. Misture o caldo de legumes em 4 xícaras (chá) de água e leve ao fogo baixo até aquecer bem. (mantenha a água aquecida durante todo o processo).
2. Em uma panela, derreta a manteiga e frite o alho e a cebola rapidamente. (não deixe o alho dourar!)
3. Junte o arroz e toste-o por aproximadamente 1 minuto, para que os grãos fiquem cobertos por uma camada de gordura, a qual evitará que o líquido seja absorvido rápido demais.
4. Acrescente o vinho branco. 
5. Assim que o vinho secar, adicione, com o auxílio de uma concha, o caldo de legumes quente, aos poucos, mexendo sempre, para evitar que o arroz grude na panela e, para que o contato de todos os grãos com o líquido seja maior, aumentando também a cremosidade do prato.
6. No meio do cozimento do arroz, acrescente a abobrinha e o palmito, misturando-os delicadamente.
7. Continue adicionando o restante da água, aos poucos e mexendo suavemente.
8. Acrescente o tomilho (opcional)
9. Quando o arroz estiver macio e com pouco líquido, desligue o fogo e acrescente o queijo, misturando até derreter e o risoto ficar cremoso.
11. Adicione a pimenta-rosa. (opcional)
12. Tampe a panela e deixe o risoto descansar por 1 ou 2 minutos, para atingir o ponto perfeito.
13. Sirva imediatamente, como prato principal, ou em porções menores como entrada.

Bom apetite!
Beijocas,
Cintya Maria

07/06/2013

Legumes ao Forno com Sardinha

Quarta-feira é o dia em que geralmente vou à feira. E nesta semana não foi diferente. Porém, antes de sair de casa, pensei na receita que eu iria preparar e também verifiquei o que estava faltando. Fiz minha listinha e com um sorriso no rosto, devido ao céu azul infinito que encontrei pelo caminho lá fui eu. Parei o carro mais longe, para poder caminhar um pouco mais e evitar o stress de encontrar uma vaga. Sim, meu povo, o trânsito daqui também está terrível! E sabe por que? Primeiro porque há muito mais carros nas ruas do que as coitadas comportam e, segundo, porque as pessoas que tiraram suas cartas há muito tempo não conseguem se adaptar à nova realidade e velocidade das ruas, e dirigem muito, muito devagar,  no meio da rua, não percebendo que dois carros podem passar naquele espaço e assim acabam atrapalhando o trânsito. Coisas do interiorrr...rs
Bem, voltando à feira, eu acho que eu devo ter tomado um café-da-manhã bem pouco reforçado, pois tudo o que eu via pela frente eu queria comprar, chegando até salivar! Resultado: acabei comprando mais itens do que listei! rsrs E ainda passei no mercado pegar outras coisas para "aproveitar a viagem."
Cheguei em casa em cima da hora para fazer o almoço para o amore, mas, ufa, deu tempo!
Receitinha zaz-traz e super saudável!!! Com certeza irei repetí-la aqui em casa!
Antes de ir ao forno
Legumes ao Forno com Sardinha
Receita para 2 pessoas famintas

Azeite
01 cebola grande cortada ao meio e depois fatiada
02 xíc. (chá) de abobrinha cortada em pedaços médios (usei a italiana)
02 tomates bem maduros (usei o italiano)
03 colh. (sopa) de cogumelos em conserva
01 lata de sardinha (tire as escamas, a espinha e despedace-a com as mãos)
Alho, salsa e cebola desidratados a gosto (esse é um tempero pronto que encontramos facilmente nos mercados)
Folhas de manjericão, sal e pimenta-do-reino a gosto
Salsinha fresca para polvilhar depois de ir ao forno

Preparo
1. Lave bem todos os legumes.
2. Unte generosamente um refratário com azeite e coloque metade da cebola fatiada, de modo que cubra o fundo do recipiente. Pré-aqueça o forno (250°C).
3. Cubra com a abobrinha e o tomate e regue com azeite.
4. Acrescente o cogumelo e tempere com o sal e a pimenta.
5. Distribua os pedaços de sardinha e as folhas de manjericão.
6. Polvilhe com o tempero pronto de alho, salsa e cebola. (opcional)
7. Repita todos os passos acima até que os ingredientes acabem.
8. Leve ao forno por aproximadamente 20 minutos. (durante esse tempo, mexa os legumes para que todos eles cozinhem por igual.)
9. Ao tirar do forno, regue mais uma vez com azeite, polvilhe a salsinha fresca e sirva imediatamente.

Atenção: não precisa acrescentar água para amolecer os legumes, pois eles juntos soltam água e essa é suficiente para o cozimento deles. Eles ficam macios, viu?

Bom apetite!
Beijocas,
Cintya Maria

06/06/2013

Lasagna Shells (Conchinhas de lasanha)

Desde que comecei a visitar o site de imagens Pinterest, tenho me deparado com fotos lindíssimas e apresentações inusitadas de alguns pratos, o que apenas reafirma a vastidão da criatividade humana. Fico fascinada pelas ideias que aparecem por lá e, se bobear, fico horas navegando por aquele site sem me dar conta do tempo. Para mim, é realmente um colírio para os olhos!
E foi de lá que tirei essa ideia para lasagna. Achei bem bacana e versátil, pois tanto pode ser usada como uma entrada ou como prato principal. A minha versão não chegou perto da original, chamada de lasagna cup, e que fica bem no formato de uma "cup" (xícara, em Inglês), devido, creio eu, à massa, pois a que vi por lá parecia usar uma massa mais fininha. A minha ficou mais para "shell" (concha, em Inglês), vocês não acham? Mesmo assim, resolvi postar a ideia, porque achei interessante e, quem sabe, vocês não testam com uma massa mais fininha e conseguem o formato de uma verdadeira "cup", não é mesmo? Fica o desafio e se conseguirem, me enviem as fotos, ok?

Lasagna Shells (Conchinhas de lasanha)
Para 02 pessoas

08 retângulos de massa para lasanha pré-cozidos
250g de muçarela ralada (se achar necessário, utilize mais queijo)
Molho de tomate caseiro (sugiro o desse post AQUI)
Orégano e azeite a gosto

Preparo
1. Corte cada retângulo da massa com um cortador de biscoitos (se não tiver, use a tampa de um recipiente plástico, de uns 10cm).
2. Utilize uma forma com cavidades (como as de cupcakes), pode ser as forminhas de empada também e unte-as com óleo.
3. Com cuidado, acomode em cada cavidade as massas de lasanha, formando as "conchas".
4. Acrescente o molho, cubra com a muçarela e polvilhe orégano sobre cada concha.

5. Leve ao forno pré-aquecido (180°C) até perceber que o queijo derreteu.
6. Sirva imediatamente.

Dica: use e abuse de outros recheios e coberturas, ok?

Beijocas e um ótimo dia pra vcs!
Cintya Maria

05/06/2013

Horta em Casa: finalmente!

Olá pessoal!!! O post de hoje não traz nenhuma receita. =(
Eu apenas gostaria de dividir com vocês algo que finalmente consegui montar em minha casa: a minha mini-horta orgânica. Há tempos eu queria ter em casa temperinhos frescos, sem agrotóxicos, adubados com cascas de ovos e muito amor! E consegui!!!
Como fiz? Vou te contar...
Primeiro arranjei um tempinho na agenda e saí para comprar as mudas: 
2 de salsinha (pois uso muito!!!)
1 de ciboulette
1 de manjericão
1 de alecrim
1 de orégano
1 de hortelã
1 pacote de terra com adubo especial orgânico.
Chegando em casa, separei os vasos que eu já tinha, forrei o fundo deles com cacos de telha (não tinha pedriscos ou coisa do tipo), coloquei um pouco de terra sobre os cacos e fui acomodando as mudinhas, uma a uma. Por fim, cobri com mais terra. Apertei bem em volta de cada muda, com cuidado, claro. Reguei e escolhi um lugar que ficasse longe do alcance do meu cachorro, o Nino, para ter certeza de que ele não iria cavar no vaso, coisa que às vezes ele faz, principalmente quando ganha um osso de presente! Foi então que resolvi colocar os vasinhos sobre a "casinha do botijão de gás" (existe um nome específico para isso???), na minha lavanderia. Lá o sol bate bem fraquinho e depois à tarde ele vai embora, evitando queimar as minhas mudas. Após quase um mês, minhas mudas se desenvolveram bem, meu manjericão está lindo e as outras continuam lá, firmes e fortes! O único problema é que de vez em quando aparecem alguns insetos... às vezes uma abelhinha...
... às vezes uma joaninha (tímida, não olhou para a foto rs)... mas, até agora nenhuma delas "atacou" a minha "plantação"...rsrs...
Brincadeiras à parte, claro que eu não poderia deixar a minha horta sem um enfeitinho, né? E esses foram  pintados por mim, especialmente para esse local.
Bem, espero que assim como eu, vocês também se sintam motivados à cultivar os seus próprios temperos. E se você não sabe ou ainda não entendeu o porquê de cultivar alimentos de qualquer tipo em casa, vamos atentar para a explicação:
"Os alimentos orgânicos são aqueles que utilizam, em todos seus processos de produção, técnicas que respeitam o meio ambiente e visam a qualidade do alimento. Desta forma, não são usados agrotóxicos nem qualquer outro tipo de produto que possa vir a causar algum dano a saúde dos consumidores". (fonte: http://www.suapesquisa.com/ecologiasaude/alimentos_organicos.htm)

Vamos tentar???

Beijocas e ótima quarta-feira pra você!
Cintya Maria

04/06/2013

Torta de Banana


O corpo humano é realmente algo fascinante e complexo. E na minha modesta opinião ele não pode ter surgido de uma simples explosão, chamada por alguns de Big Bang. São tantas funções, características, detalhes minuciosos, tudo tão perfeito! E isso me levar crer que não foram apenas reações químicas... Mas, como não estou aqui para discutir sobre ciências ou crenças, só quero ressaltar tamanha perfeição! Por exemplo, é só a temperatura mudar e o nosso paladar sofre as consequências e pede por algo mais consistente, mais quente e reconfortante. Pelo menos é o que acontece comigo. Com vocês é assim também?
Nessa época, fujo de qualquer tipo de comida gelada: como menos salada (tá bom, sei que não deveria, mas não consigo!) e certos tipos de frutas. Pudins e mousses evito ao máximo! Não gosto daquela sensação de algo gelado correndo dentro do meu corpo. Sou uma pessoa que sente bastante frio e já devo ter contado por aqui que essa é a época do ano em que mais sofro (ô dó! rsrs), daí a minha predileção pelo verão!
Entretanto, prefiro olhar para o lado gostoso se é que ele existe do outono-inverno. Dormimos melhor e agarradinhos, ficar em casa no sábado à noite é uma delícia... enfim, tudo tem o seu lado bom, não é?
Mas, voltando ao assunto "paladar", percebi que como mais bolo nessa época do ano! E é por isso que hoje trago uma receita de família, chamada pela minha avó materna de torta, porém alguns a chamarão de bolo. Seja qual for o nome, sugiro que testem, pois quando quero comer um bolo com casquinha crocante, é esse que escolho! O interessante dessa torta é que ela leva queijo ralado na massa e acredito que seja por isso que se forme a tal da casquinha crocante.

Torta de Banana
*Forma redonda de laterais altas de 26cm*

03 colh. (sopa) de manteiga (temperatura ambiente)
03 xíc. (chá) de açúcar
04 ovos
03 xíc. (chá) de farinha de trigo (peneirado)
01 xíc. (chá) de maisena
01 colh. (sopa) de fermento para bolo
01 xíc. (chá) de leite (usei integral)
01 xíc. (chá) de queijo parmesão ralado (opcional, se não gostar, não precisa colocar, mas ele é que dá o "tchan" no bolo e o sabor não fica forte)
Fatias de banana nanica (usei 2 bananas, mas se gostar e quiser pode colocar mais, ok?)

Preparo
1. Unte e enfarinhe a forma e pré-aqueça o forno. (180°C).
2. Em uma tigela grande, peneire o trigo, a maisena e o fermento. Reserve.
3. Em um outro recipiente grande, bata em velocidade alta a manteiga, o açúcar e os ovos até obter um creme bem leve e claro.
4. Adicione aos poucos à essa mistura os ingredientes secos, intercalando com o leite.
5. Acrescente o queijo ralado e misture muito bem.
6. Espalhe as fatias de banana do fundo da forma (vide foto)
7. Cubra as fatias de banana com a massa da torta e coloque mais fatias de banana para decorar.
8. Leve ao forno para assar  por aproximadamente 45 minutos ou até que o topo do bolo esteja dourado. (vide foto). Olha a casquinha aí, gente!
E aqui está o caderninho que dei para minha mamis, em 1982 quando eu estava no pré. (direto do túnel do tempo! rsrs) E mais tarde, não sei dizer o ano, passei todas as nossas receitas para esse caderninho, inclusive a dessa torta. Detalhe da página toda suja de respingo de massa de bolo...rs

Espero que tenham gostado!
Bom apetite! E e um ótimo dia pra vcs!
Cintya Maria